Postagem em destaque

Slow Motion Bossa Nova - Celso Fonseca & Ronaldo Bastos

Encante-se ...!

sábado, 10 de novembro de 2012

Mercado de Livros brasileiro é nono maior do Mundo

ARMAZÉM LITERÁRIO

MERCADO EDITORIAL

Mercado brasileiro é o 9º no mundo

Por Mariana Barbosa em 06/11/2012 na edição 719
Reproduzido da Folha de S.Paulo, 3/11/2012; título original “Mercado de livros cresce e já aparece como 9º no mundo”, intertítulo do OI 
Até agora “protegido” pela língua nacional, o mercado editorial brasileiro atingiu tamanho de gente grande e começa a atrair importantes grupos internacionais. Com R$ 6,2 bilhões de faturamento e 469,5 mil exemplares vendidos, o Brasil é o nono maior mercado editorial do mundo, segundo estudo recém-publicado da Associação Internacional dos Editores (IPA, na sigla em inglês). É o primeiro estudo que trás a movimentação total do mercado nacional, considerando o preço pago pelo consumidor. O faturamento das editoras, medido pela Câmara Brasileira do Livro (CBL), foi de R$ 4,8 bilhões em 2011.
A compra de 45% da Companhia das Letras pela britânica Penguin no final de 2011 foi o início de um movimento que deve se intensificar, avalia o consultor Carlo Carrenho, do site PublishNews. Diferentemente do que acontece em setores como meios de comunicação, não há impedimento para a entrada de estrangeiros no mercado editorial. Os espanhóis já estão no país há alguns anos e a portuguesa LeYa comprou a Casa da Palavra no ano passado.
O mercado brasileiro, junto com China e Índia, está no foco da Random House Penguin, união de duas das maiores editoras do mundo anunciada na semana passada. “Não tivemos muitas aquisições de estrangeiros no passado por conta do idioma. Mas, com o tamanho do mercado brasileiro, com a classe C entrando, o Brasil está cada vez mais atraente”, diz Carrenho.
Situação confortável
Dados da CBL mostram que o livro está mais barato e o brasileiro anda lendo mais. O preço médio do livro caiu 6,1% em 2011, considerando apenas preços praticados no mercado privado. Incluindo compras de governo, o preço médio ficou estável (alta de 0,1%). O governo representa 39,5% do mercado.
Em volume, as vendas subiram 7,2% – o brasileiro comprou 3,34% mais, e o governo,13,7% mais. Já em receita, a alta foi de 7,4%. Ou 0,81%, descontada a inflação.
Na opinião de Carrenho, as editoras estão em situação confortável para conversar, pois estão saudáveis e com perspectiva de crescimento. “Há muito espaço para as editoras se tornarem globais, com uma administração profissional”, diz. “As editoras são empresas familiares e só têm a ganhar ao fazer parte de grandes grupos.”
***
Livros digitais devem impulsionar setor

EXISTE algum remédio para um médico como esse???

http://br.omg.yahoo.com/blogs/podeisso/doutor-receita-cadeados-para-mo%C3%A7a-conseguir-emagrecer-151647765.html

Doutor receita cadeados para moça conseguir emagrecer

Exemplo que vem da França e pouco recomendável para prefeitos que vivem dos royalties no Brasil...


Prefeito de cidade na França faz greve de fome em protesto contra a crise europeia

  • destacar vídeo
  • espalhe por aí
Dê sua nota: 15 exibições
Stéphane Gatignon, prefeito de Sevran, município sofre com o desemprego e a alta criminalidade, entrou em greve de fome por causa dos cortes no orçamento em meio à crise. Veja ainda no vídeo: também por causa da crise, mulher de 53 anos se suicidou na Espanha pouco antes de ser despejada de casa; confronto entre presos e a polícia em rebelião deixa 27 mortos no Sri Lanka; e explosão de trem que carregava gasolina deixa 25 mortos e 62 feridos em Mianmar. 

China poderá ser a primeira potência mundial em 2016 // El País

http://economia.elpais.com/economia/2012/11/09/actualidad/1352456628_222082.html

China superará a EE UU y se convertirá en la primera potencia mundial en 2016

El gigante asiático e India también acapararán casi la mitad del PIB mundial dentro de 50 años

Un informe de la OCDE concluye que la economía crecerá un 3% hasta 2060

Hacer augurios a largo plazo no resulta una tarea sencilla. Como decía el prestigioso economista del siglo XX John Maynard Keynes: “A largo plazo, todos muertos”. Aun así la OCDE considera que dentro de 50 años China e India se habrán convertido en las grandes potencias económicas del mundo. El organismo que agrupa a los 32 países más industrializados del planeta sostiene que estos dos países acapararán casi la mitad de la riqueza mundial en 2060.
En un informe titulado Una mirada a 2060: Una visión global del crecimiento a largo plazo, la OCDE concluye que la economía mundial crecerá a un ritmo del 3% durante los próximos 50 años. El organismo estima que la actual crisis económica se desvanecerá y la economía volverá a rugir con consistencia, aunque con un patrón diferente al actual. El informe detecta importantes variaciones entre los progresos de las diferentes naciones. Señala a los países en vías de desarrollo como los se comportarán con más vigor y espolearán el crecimiento, aunque poco a poco su evolución se irá ralentizando hasta coincidir con la media de los países de la OCDE.
Alemania es el país que menos crecerá en las próximas cinco décadas
Este ritmo desigual del crecimiento económico provocará un cambio radical en el equilibrio mundial. “El PIB combinado de China e India pronto superará al de las economías del G-7 y rebasará a la de todos los miembros actuales de la OCDE en 2060”, señala el informe de la OCDE divulgado este viernes. India, con un crecimiento sostenido del 5,1%, será el país que mejor evolucione en las próximas cinco décadas. Así, la economía india pasará de representar el 7% del total, al 18% en 2060 con un mayor progreso a partir de 2030. China, que tendrá un crecimiento del 4%, elevará su peso específico del 17% al 28% del total. No obstante, la economía china logrará convertirse en la más importante del mundo en 2030. A partir de ese año mantendrá su peso específico sin engordar más.
El área euro representa actualmente el 17% de la economía global, pero según las proyecciones de la OCDE dentro de 50 años supondrá solo el 9% del global. Por su parte, Estados Unidos cuya economía representa el 23% mundial, reducirá su peso hasta el 16% en 2060.
El informe de la OCDE concluye que la economía española avanzará un 1,7% durante los próximos 50 años. Además, la renta per cápita española crecerá un 1,4% hasta 2060, por debajo de la media mundial. Según las previsiones de la OCDE Alemania será el país con menor crecimiento del PIB entre 2011 y 2060. Su economía solo avanzará un 1,1% durante ese periodo. Aunque la renta por habitante alemana aumentará un 1,4% anual en los próximos 50 años, frente al 2,6% mundial.

Alerta al envejecimiento

El documento del organismo internacional señala el envejecimiento de la población como uno de los lastres que perjudicarán a la productividad de los países y su ritmo de crecimiento. La OCDE defiende una mejora de los niveles de educación para combatir este contratiempo.
Las proyecciones demográficas que realiza la OCDE “sugieren que el envejecimiento en los próximos 50 años será especialmente rápido en Asia, los países del este de Europa y los países del sur de Europa”. Estos países duplicarán la tasa de dependencia con la vejez e incluso se cuadruplicará en China. Por cierto, el envejecimiento más acelerado en este país explica por qué la India e Indonesia superará su tasa de crecimiento en menos de una década.
La OCDE estima que la población mundical crecerá un 0,3% anual durante los próximos 50 años. “En igualdad de condiciones, el crecimiento total de la población de más edad actuará como un lastre para el crecimiento del PIB per cápita en varios países”, concluye el informe que considera que disminuirá la población en edad de trabajar. Aunque también concluye que la tasa de paro bajará de los niveles actuales.
La OCDE espera un fuerte crecimiento de los países con bajos ingresos. No obstante, espera que se mantengan las grandes diferencias en los niveles de vida de los países a pesar de que los ingresos per cápita de las economías más pobres llegará a cuadruplicarse hasta 2060. China e India, por ejemplo, multiplicarán por más de siete y las economías más desarrolladas solo se duplicarán. No obstante, los estándares de vida no serán entre un 25% y un 60% del de los países desarrollados en 2060, según la OCDE.
El estudio señala que el ahorro es uno de los motores que impulsarán el crecimiento en los próximos años. Indica que las tasas de ahorro privado descenderá en la mayoría de los países durante los próximos 50 años debido al envejecimiento de la población. “Sin embargo, la tasa de ahorro global se mantendrá estable hasta 2030 por la acción combinada de alto ahorro en China y la India”.
También el aumento del ahorro público de los países desarrollados para neutralizar el fuerte aumento de la deuda servirá para impulsar el crecimiento en los próximos años. Por eso, la OCDE considera que la aplicación de medidas de consolidación fiscal (subida de impuestos y recortes de gastos) más ambiciosas podrían elevar el nivel de vida y reducir los desequilibrios así como mejorar las perspectivas económicas de los países en el periodo de análisis.

Em Campina Grande criminosos iniciantes fazem sequestro "trapalhão" e são presos

http://noticias.r7.com/cidades/ltimo-suspeito-de-participar-de-sequestro-de-irma-de-jogador-se-entrega-09112012

Último suspeito de participar de sequestro de irmã de jogador se entrega

Ex-candidato a vereador e empresário foram mandantes do crime
    Publicado em 9/11/2012 às 11h34 
Do R7, com Rede Record
O último suspeito de ter participado do sequestro da jovem Angélica Aparecida Vieira, de 22 anos, se entregou à polícia na última quinta-feira (8), em Campina Grande (PB). O ex-candidato a vereador, Rodolfo Sifrônio, chegou acompanhado de um advogado e negou que tivesse participação no crime. A vítima é irmã do jogador de futebol Hulk.
O ex-candidato a vereador e o dono do restaurante onde Angélica trabalhava são suspeitos de serem mandantes do sequestro.  Além deles, outros dois rapazes foram presos por envolvimento. De acordo com as investigações, eles cobrariam R$ 300 mil de resgate.
Em depoimento, Angélica contou que a comida oferecida no cativeiro era feita no restaurante. O homem que a vigiava disse que receberia R$ 3.000 pelo serviço. Ela ofereceu R$ 6.000 e teria sido liberada por ele, mas não chegou a pagar porque o rapaz foi preso. Por esse motivo, não houve tempo de os criminosos entrarem em contato com a família para pedir resgate.
O dono do restaurante estava com a jovem no momento da abordagem, por isso foi chamado para prestar depoimento. A polícia informou que ele entrou em contradição várias vezes e passou a ser suspeito.

As marcas da Espanha /// Nélida Piñon

A melhor maneira de ler é usar > Ctrl e +
As letras do texto ficarão maiores 


Lady Gaga passou pelo Rio de Janeiro e cantou para 40 mil pessoas

http://veja.abril.com.br/noticia/celebridades/lady-gaga-chora-no-rio-e-diz-nunca-vi-pessoas-tao-felizes-como-nas-favelas

Música

Lady Gaga chora no Rio e diz: "Nunca vi pessoas tão felizes como nas favelas"

Cantora se apresentou nesta sexta no Parque dos Atletas, para 40.000 pessoas. No domingo, ela canta em São Paulo, e na próxima terça, em Porto Alegre

Show da cantora americana Lady Gaga no Parque dos Atletas, no Rio de Janeiro
Show da cantora americana Lady Gaga no Parque dos Atletas, no Rio de Janeiro - Marcelo de Almeida
Certas estratégias aplicadas pelos artistas para criar empatia com o público já são manjadas. Entre elas, convidar fãs ao palco, enrolar-se na bandeira do Brasil, falar palavras no idioma do país e elogiar a tudo e a todos, mesmo sem conhecer nada direito. Pode-se pular essa parte, portanto, e dizer que Lady Gaga fez tudo isso no show desta sexta-feira, que aconteceu no Parque dos Atletas -- seu primeiro da turnê Born This Way Ball no Brasil. No entanto, algo inusitado aconteceu na apresentação, quando, enquanto cantava a música Hair sentada ao piano, acompanhada de três fãs que chamou ao palco, Gaga desabou em lágrimas.
A sessão chororô não é novidade nos shows da cantora -- ela costuma se emocionar em algumas apresentações, em momentos variados do show. Porém, ainda que o choro não tenha parecido muito verdadeiro, já que a voz dela não ficou embargada nenhum segundo, o momento teve lá sua dose de emoção. Gaga chorava acompanhada de um dos fãs, que desde que subiu ao palco não parou de derrubar lágrimas, o consolava, abraçava, beijava. No fim, deu a ele uma camiseta, o mandou de volta para a plateia e ficou por isso mesmo.

Leia também:
No Brasil, Lady Gaga tem um de seus maiores desafios
Lady Gaga imita Michael Jackson e visita favela no Rio

Apresentação cronometrada - O show começou pontualmente às 22h20, horário para o qual estava marcado, e terminou à 0h20, como também era previsto. Além da pontualidade, o show de Gaga impressiona por transcorrer exatamente de acordo com o roteiro. Todas as músicas enfileiradas na mesma ordem, cantada nas mesmas posições. Cada música tocada parece ser cronometrada segundo a segundo, de forma que quando uma acaba, outra começa. Outro ponto que impressiona é o cenário em formato de castelo medieval, que chega a parecer uma construção de verdade, de tijolinhos marrons.

Assim como o castelo, toda a cenografia e os figurinos da turnê são impecáveis. Gaga muda de roupa praticamente a cada música, já os dançarinos trocam a cada um dos quatro atos do show. Vale dizer que Gaga, ao contrário de praticamente todas as atuais estrelas pop, não tenta dançar de maneira sensual ou passar uma imagem sexual durante o show -- muito pelo contrário, aliás, já que a cantora ostenta uma pose malandra e, quando faz algo remotamente relacionado a sexo, é sempre tão fora do contexto que causa mais riso que outra coisa, e o mesmo vale para a dança, que é quase infantil.