sábado, 21 de abril de 2012

Pedro Simon pede garantia de vida para Carlinhos Cachoeira

Pedro Simon pede garantia de vida para Carlinhos Cachoeira

Senador%20Pedro%20Simon.jpg (640×411)
Em discurso no Senado na última sexta-feira (20), o senador Pedro Simon (PMDB-RS) se pronunciou sobre a instauração da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investigará as ligações políticas do bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Durante seu discurso, o parlamentar lembrou do pedido que fez no Conselho de Ética pela garantia de vida de Cachoeira, que saiu de um presídio de segurança máxima, no Rio Grande do Norte, e foi para uma cela aberta, onde divide o espaço com aproximadamente 20 presos, em Brasília.
"O senhor Cachoeira é uma bomba ambulante. O que tem de gente atrás dele, o seu arquivo é tão intenso, é uma interrogação  tão intensa, que a pergunta é: qual será o próximo golpe?"
Se referindo ao bicheiro como um "arquivo ambulante", Simon comparou o caso com o assassinato do tesoureiro da campanha de Collor, PC Farias, em 1996, dizendo ainda que o "senhor Cachoeira está numa situação mil vezes mais delicada". 
O senador aproveitou a ocasião para lembrar a relação do ex-presidente Lula com o bicheiro. Ele contou que, no início do governo do petista, após uma denúncia de corrupção envolvendo o subchefe da Casa Civil, Waldomiro Diniz, pediu ao presidente que o expulsasse e abrisse um processo contra Cachoeira, o que não aconteceu. Ele criticou a tentativa de interferência do ex-presidente na escolha do relator da CPMI. 
"O que o senhor Lula tem que se meter em indicar o relator da comissão?", indagou o parlamentar. 

Asesinan a tiros a exgeneral mexicano - CNN en Español – Ultimas Noticias de Estados Unidos, Latinoamérica y el Mundo, Opinión y Videos - CNN.com Blogs

Asesinan a tiros a exgeneral mexicano vinculado con el narco hace una década
21 abril 2012
08:32 AM ET

Asesinan a tiros a exgeneral mexicano vinculado con el narco hace una década

El general retirado Mario Arturo Acosta Chaparro, de 71 años, murió el viernes tras recibir tres disparos en la cabeza en la Ciudad de México, reportó la Cruz Roja Mexicana.
Acosta Chaparro estaba con vida al momento de ser atendido por los paramédicos, quienes lo trasladaron de emergencia al área de Urgencias del Hospital Central de Cruz Roja Mexicana, pero murió en el traslado.
El General Acosta Chaparro y otro general ya fallecido, Francisco Quirós Hermosillo, fueron detenidos en agosto de 2000 acusados de presuntos vínculos con el narcotráfico y de haber brindado protección al cártel de Juárez, encabezado por Amado Carrillo Fuentes.

'Nosso dever é julgar o mensalão. E o resultado é do eleitor' - politica -- Estadão

'Nosso dever é julgar o mensalão. E o resultado é do eleitor' - politica - versaoimpressa - Estadão

Para ministra, julgar processo em época de campanha é viável: 'Nenhum dos 2 tribunais tem de se condicionar'

21 de abril de 2012 | 3h 05

MARIÂNGELA GALLUCCI / BRASÍLIA - O Estado de S.Paulo
Primeira mulher a presidir o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha disse que não haverá problemas se o Supremo Tribunal Federal (STF) julgar o processo do mensalão em agosto, em plena campanha eleitoral. "Nosso dever é julgar. O resultado do julgamento é do eleitor", disse ela, que é ministra do STF e vai participar do julgamento do mensalão.
Como presidente do TSE, o que a senhora pretende fazer para combater o abuso de poder político e econômico em campanhas?
Pretendo dar toda prioridade a processos que se refiram às eleições e que ainda não foram julgados. Estou trabalhando para a gente instalar o processo eleitoral eletrônico, para dar maior celeridade, para que processos, impugnações e questionamentos sejam resolvidos o mais depressa possível. Porque aí os resultados das eleições serão aqueles que deverão prevalecer. E esses abusos, se vierem a acontecer, que sejam cortados de imediato.
Qual o impacto nas eleições com a entrada em vigor, este ano, da Lei da Ficha Limpa?
É preciso agora que o cidadão saiba que ele é que é o autor da lei e, portanto, vote limpo. Se votar sem se deixar influenciar por informações equivocadas, por desconsiderar pessoas que descumpriram exigências da Lei da Ficha Limpa, ele é que fará realmente com que haja a grande mudança. É o cidadão que faz a eleição ser limpa. Depois da Lei da Ficha Limpa, o voto limpo.
Como controlar a participação dos atuais ocupantes de cargos públicos (presidente e ministros) na campanha deste ano?
Vejo os atuais governantes pelo menos declarando que eles vão ser muito imparciais. Eles sabem que a eleição é municipal e que é preciso que se tenha todo o cuidado. Espero que eles realmente tenham esse cuidado.
O presidente da OAB, Ophir Cavalcante, disse que a origem da corrupção está no financiamento privado de campanhas. A senhora concorda?
Acho que tem desvio, sim, no financiamento, com os chamados financiamentos privados. Talvez um dos caminhos seja o financiamento ser mais restrito, especialmente de empresas.
O ministro Ricardo Lewandowski disse ao Estado que vai começar a julgar o mensalão em agosto. A senhora acha adequado? O julgamento não poderia contaminar a eleição, ou vice-versa?
Nenhum dos dois tribunais tem de se condicionar. O que é urgente num tribunal não pode ser desconsiderado por causa das atividades no outro. Acredito que o eleitor seja capaz de fazer a crítica, a separação e a união do que ele precisar. O certo é que o nosso dever é julgar. O resultado do julgamento, qualquer que seja ele, é do eleitor, é do cidadão.

Real Madrid lança relógio com sua marca....

Bogotá
Viceroy, una de las marcas de relojes más famosa del mundo, acaba de llegar a Colombia de la mano de Kronotime, tienda relojera que hace parte del grupo Sterling.

La marca suiza es conocida por fabricar los relojes oficiales del Real Madrid, equipo insignia del fútbol europeo, así como por tener al doble campeón de la Fórmula 1, Fernando Alonso, como embajador desde hace dos años.
Julio Iglesias, Antonio Banderas, Melanie Griffith, Enrique Iglesias y Shakira también han sido embajadores de la marca.
De su amplia colección, integrada por más de 700 modelos, llegarán 100 al país. Una parte acaba de desembarcar de la feria de relojeros más importante del mundo, la BaselWorld en Basilea, y el resto se espera esté en Colombia en lo corrido del mes. LR habló sobre Viceroy con su export sales manager, el español Riccardo Ranieri.


Palácio de Buckingham se transforma em tela...

El Palacio de Buckingham se transforma en un lienzo
Un mosaico majestuoso de la reina Isabel II es proyectado en una de las fachadas del palacio.
20 abril 2012
05:25 PM ET

El Palacio de Buckingham se transforma en un lienzo

Por Lauren Said-Moorhouse
Londres (CNN) — Ha sido la residencia oficial de la monarquía británica desde 1837.
Ahora el Palacio de Buckingham fue transformado en un lienzo en un intento por romper el record mundial de la instalación de arte con el más grande número de colaboraciones

"A era da inocência"... / Roberto Pompeu de Toledo

20/04/2012
 às 16:43 \ Feira Livre

‘A era da inocência’, por Roberto Pompeu de Toledo

PUBLICADO NA VEJA DESTA SEMANA
Brasília, em 1958, era da inocência (Foto: Marceu Gautherot / Dedoc)
Brasília, em 1958, era da inocência (Foto: Marceu Gautherot / Dedoc)

ROBERTO POMPEU DE TOLEDO
Brasília chega aos 52 anos, no próximo sábado, 21, malfalada e cansada de guerra. Nem parece, mas já teve uma era da inocência. A poeta americana Elizabeth Bishop a visitou em 1958, dois anos antes da inauguração. Bishop morava no Rio de Janeiro, com sua amada Lota Macedo Soares, e viajou para Brasília numa pequena comitiva organizada pelo Itamaraty, cujo integrante mais ilustre era o escritor inglês Aldous Huxley. O pouco conhecido (e, ao que consta a este colunista, não traduzido) relato de viagem que a poeta escreveu em seguida lembra certos filmes que tentam reconstruir o mundo antes da criação, com os mares reclamando seus espaços, continentes em formação e dinossauros. Bishop flagra Brasília na véspera de si mesma. O equivalente aos dinossauros eram a “confusa e barulhenta cena” dos caminhões e tratores que, noite e dia, se empenhavam em fazer brotar do solo as futuras Praça dos Três Poderes e Esplanada dos Ministérios.
A Brasília de Bishop é calor, suor e poeira – uma poeira vermelha, que se levanta em nuvens à passagem dos veículos e impregna as roupas e os tapetes do Brasília Palace Hotel, onde ela ficou hospedada. A poeta se surpreende com a secura e a desolação do local. Comparado com qualquer outro espaço habitável deste país “fantasticamente bonito”, escreve, o lugar parece “notavelmente pouco atrativo e pouco promissor”. Não há “nem montanhas, nem colinas, nem rios, nem árvores”, tampouco “o sentimento de grandeza, de segurança, de fertilidade, do pinturesco” ou qualquer outra das qualidades “que se imagina capazes de dar beleza e caráter a uma cidade”. Mundo em criação que era, Brasília não tinha ainda o seu lago. As únicas dádivas que a “Mãe Natureza” proporcionou ao lugar, conclui a poeta, são “o céu e o espaço”.
Havia apenas dois prédios prontos – o Brasília Palace Hotel e o Palácio da Alvorada. As colunas do Palácio da Alvorada deslumbraram os visitantes. Huxley deslocou-se para examiná-las de vários ângulos. Outros membros da comitiva as tocaram e fotografaram à exaustão. Bishop as descreve com imagens de poeta: “Se alguém imagina uma fileira de enormes pipas brancas, postas de cabeça para baixo, e então agarradas por mãos gigantes e apertadas em todos os seus quatro lados, até que sejam elegantemente atenuados, pode ter uma ideia delas razoavelmente acurada”. Já o interior do palácio não lhes agradou. Bishop critica a decoração e a falta de conforto. Alguém lhes conta que o secretário de Estado Foster Dulles, em recente visita, quase caíra da escada sem corrimão que conduz ao andar superior. Huxley já experimentara os perigos da notória ojeriza de Oscar Niemeyer pelos corrimões. Horas antes, escorregara na escada do hotel, e comentará que “é uma vergonha abandonar tão útil invenção” quanto o corrimão, conhecida há milhares de anos....>
Para a poeta, tratava-se da “velha e familiar cidade de fronteira da Metro-Goldwyn-Mayer”. A comitiva foi informada de que, ao ser criada, no ano anterior, a Cidade Livre tinha 400 habitantes; agora tinha 45 000. Possuía até cinema, e personagens improváveis. A comitiva conheceu uma delas – uma condessa polonesa, ninguém menos do que isso, jovem e bonita, refugiada de seu país e dona de um inglês impecável.
elizabeth-bishop-by-joseph-breitenbach-detail
A poeta americana Elizabeth Bishop registrou em palavras o que outros fotografaram: "nem montanhas, nem colinas, nem rios, nem árvores" (Foto: Joseph Breitenbach)
A condessa Tarnowska lhes serviu de cicerone e anfitriã na Cidade Livre. Ela era, justamente, a dona do cinema local. Disse que “amava” viver ali. E contou-lhes uma história que ocorrera em seu cinema, pouco tempo antes, quando estava em cartaz o filme E Deus Criou a Mulher, com Brigitte Bardot. A projeção caminhava normalmente, até que, na mais esperada cena, no momento mesmo em que a Bardot desfazia o primeiro botão da roupa, parava. As luzes então se acendiam e o projetista avisava: “Queiram as senhoras e senhoritas, por favor, deixar a sala”. As mulheres saíam e aglomeravam-se lá fora, na rua de terra, sem calçada. A projeção continuava só para os homens. Terminada a cena de nudez, parava de novo, e as senhoras e senhoritas eram avisadas de que estavam liberadas para voltar. Pudor era o que não faltava, na Brasília daquele tempo.

Uma criança com seis pernas no Paquistão...


ISLAMABAD: A baby born in Pakistan's Sindh province has six legs, with a doctor assessing that the removal of the parasitic limbs 


Furtado do Facebook de Carla 

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Blog do Roberto Moraes: Falta utopia e sobra pragmatismo

Blog do Roberto Moraes: Falta utopia e sobra pragmatismo:
A política é a forma que se tem de fazer com que um país, um estado, ou um município possa ser feito para todos e não apenas para alguns. Numa sociedade democrática há que se ouvir, negociar e avançar, porém, o conteúdo deve ser as políticas públicas. É isto que se espera. Demonizar a política e os políticos e não desejar e não trabalhar pela utopia e por menos pragmatismo é uma forma de contribuir com o atraso.

Dilema de Cachoeira domina trabalho de deputados e envolvidos no escândalo...

O caso do bicheiro Carlinhos Cachoeira, preso desde fevereiro sob acusação de comandar uma máfia de caça-níqueis no Centro-Oeste, passa a integrar a partir de hoje a Rede de Escândalos. A ferramenta de VEJA.com foi lançada em 9 de dezembro, Dia Mundial de Combate à Corrupção, e já coleciona 59 casos envolvendo 290 parlamentares, chefes do executivo, burocratas, lobistas, empresários, juízes, entre outros personagens. O próprio Cachoeira já figurava na rede por seu papel no caso Waldomiro Diniz, o primeiro escândalo do governo Lula.
O caso mais recente nasceu de uma operação da Polícia Federal, a Monte Carlo, que revelou a ampla rede de conexões que o empresário do jogo mantinha no Congresso, tanto na oposição como na base aliada. O senador goiano Demóstenes Torres (ex-DEM) foi o primeiro atingido. Uma série de gravações apontou que um dos mais combativos políticos do Congresso usava sua influência e credibilidade para defender os negócios de Cachoeira em troca de ricos presentes.
Além do senador, as escutas da PF complicaram deputados de pelo menos seis siglas (PT, PSDB, PP, PTB, PPS e PCdoB), dois governadores (o petista Agnelo Queiroz, do Distrito Federal, e o tucano Marconi Perillo, de Goiás) e a Delta, de Fernando Cavendish, empreiteira com maior número de obras no PAC. O volume de indícios levou à abertura de um inquérito no Supremo e à instalação de uma CPI no Congresso....>

Sponholz, danças de quadrilhas....

Sexta-feira, Abril 20, 2012

Mais maluquice... Ela passeia pelo mundo com naturalidade.... F-1 no Bahrein sofre ameaças

http://esporte.uol.com.br/f1/ultimas-noticias/2012/04/20/principe-do-bahrein-e-chefe-da-f-1-ignoram-ameacas-e-descartam-cancelar-corrida.htm
Ecclestone passeia em Sakhir ao lado do príncipe Salman bin Hamad al-Khalifa
Ecclestone passeia em Sakhir ao lado do príncipe Salman bin Hamad al-Khalifa
20/04/2012 - 11h22

Príncipe do Bahrein e chefe da F-1 ignoram ameaças e descartam cancelar corrida

Das agências internacionais, em Manama
Nesta sexta-feira, a equipe Force India se recusou a participar da segunda sessão de treinos livres no Bahrein para voltar ao hotel antes de anoitecer e evitar novos encontros com motins de rebeldes. Mas nem a ameaça à segurança das equipes e nem os apelos da comunidade internacional podem mudar a ideia do chefe da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, que ensaiou seu discurso com o do príncipe bareinita.


Para Sheikh Salman bin Hamad al-Khalifa, príncipe  o Bahrein, a corrida será boa para a nação, apesar dos frequentes protestos nas ruas. “Acho que cancelar a corrida só vai dar mais poder aos extremistas”, afirmou o governante sunita, que enfrenta a resistência da maioria xiita do país.
“Para nós que estamos tentando achar uma maneira de contornar esse problema político, realizar a corrida nos permite construir pontes entre as diferentes comunidades, para unir as pessoas e celebrar nossa nação. É uma ideia positiva”, concluiu o príncipe.
Foto 3 de 18 - Red Bull de Mark Webber é vista na paisagem do circuito de Sakhir durante treinos livres para o GP do Bahrein Mais Steve Crisp/Reuters
O herdeiro do trono deu suas explicações no circuito de Sakhir ao lado do chefe da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, que foi irônico ao comentar as ameaças sofridas por integrantes de Force India e Sauber em meio às revoltas populares no Bahrein....>