Postagem em destaque

Slow Motion Bossa Nova - Celso Fonseca & Ronaldo Bastos

Encante-se ...!

quarta-feira, 20 de abril de 2011

EMOÇÕES


Mapa das emoções

Este mapa foi idealizado pelo professor Emanuel Derman da Universidade de Columbia Engenharia Industrial e Pesquisa- Departamento de Operações. É um estudo das emoções.
Ao tentar entender o conteúdo percebi a complexidade do assunto emoção. Fiquei imaginando como é hermético e fluido ao mesmo tempo. Seria um desafio estudar comportamentos que se são fornecidos sem interrupção por cinco sentidos, pelo meio-ambiente, pelo humor da natureza, por desejos, por fracassos, por triunfos, etc.
No início pensei que o fator que causava uma emoção seria um disparo do pensamento. Descobri que existem diferentes gatilhos para tal ação. Eles podem ser externos e internos. Podem, ainda, ser conscientes e inconscientes; racionais e irracionais. São capazes de pertencer a uma dependência ideológica, cultural, e inoculada pela usualidade, como os políticos nos dão tantos exemplos; como os artistas teatrais que precisam organizar e decorar suas falas; como os desportistas que repetem seguidamente os movimentos que usarão em uma disputa; como poetas, escritores, pintores, professores, e tantos outros profissionais que dependem do raciocínio e dos vários tipos de memória para desenvolver poemas, romances, pinturas, aulas...
Pelo número de variáveis que se revelam a partir da ejeção de um evento emotivo os caminhos que ele vai percorrer vão se conectar com os subprodutos da cadeia matriz da emoção. O resultado desse passeio emotivo se faz através de condutos específicos, sistema límbico e neurônios. E levam aos sentimentos positivos ou frustrantes uma onda de dinamismo que percorre com rapidez os diversos recipientes de estágio e converte em papeis de vigilância, de medo, de prazer, de esperança, de dor.  
Ao percorrer os caminhos vicinais e tortuosos do corpo craniano os pensamentos se submetem aos filtros do arsenal de convivência, controle e avaliação do cérebro. A carga de energia que, por exemplo, um cientista, um artista, um cirurgião, um desportista despende em uma atuação de sua profissão não tem sido calculada, mas, certamente é um montante significativo. Principalmente, quando uma ação desencadeia decepção, raiva, ódio.
Este estudo chama a atenção para a quantidade de verbetes que se relacionam com emoção. Os diversos nomes se enlaçam e se comunicam; se reúnem e disputam espaços; sepultam ideas ou dão sequencia aos apelos de outros sentimentos. Alguns são misteriosos outros impulsivos outros cínicos outros inflamáveis. Enfim, o substantivo aceita muitos adjetivos.
É difícil avaliar o descrédito que temos com um substantivo de tanta importância para a vida saudável. Em uma época em que assistimos a evolução das ciências de comportamento é fácil verificar que existem expedientes para minimizar déficit de conhecimento. Com recursos da TV, da Internet, do avanço da medicina clínica, dos sofisticados aparelhos de diagnósticos não deveria haver desculpas para qualquer cidadão arriscar sua vida com descaso ou ignorância nesse assunto.
Talvez, cada um de nós precise de um sexto sentido: um somatório de cinco sentidos, para aprimorar certas faculdades desestimuladas ou tão internalizadas, aprofundadas que não sabemos como utilizar. Reconheço que identifiquei muitos tipos de emoção. Eles variam de medo, alegria, prazer, indecisão, coragem, vingança a outros que nem sei se reconheço seus nomes.
Ao dar início a este blog, www.condominiodeideias.blogspot.com, o vejo como o início de uma maratona. Ela começa com o primeiro passo. Um blog começa com uma primeira postagem. Vou postá-la agora. Parece um momento certo depois da chacina de Realengo na zona oeste do Rio de Janeiro, um evento carregado de emoção, apinhado de agonia, repleto de surpresa.
Vou tentar fazer do blog um bálsamo! Espero que ele seja bem recebido e aceito!!!
Fifica Nunes Campos